Após descontos nos salários, greve dos professores é encerrada na Paraíba

Compartilhe!

Dez regionais de ensino entraram em acordo depois que
o Governo do Estado descontou pelos dias não trabalhados, conforme
decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba ( TJPB) do dia 24 de abril  Por Hyldo PereiraProfessores da rede estadual decidiram encerrar a greve da categoria
que já durava quase um mês. A decisão do retorno às atividades aconteceu
na manhã desta quinta-feira (30) durante assembleia geral da categoria.
As aulas serão normalizadas na segunda (4). Os docentes iniciaram o
movimento grevista no dia 31 de março deste ano. Leia mais Notícias do Portal Correio Dez regionais de ensino entraram em acordo depois que o Governo do Estado descontou pelos dias não trabalhados, conforme decisão
do Tribunal de Justiça da Paraíba ( TJPB) do dia 24 de abril que
decretou ilegal a greve dos professores e o retorno imediato deles ao
trabalho.
“Os descontos entre R$ 400 e R$ 800 nos
contra-cheques e a pressão da justiça com uma multa diária de R$ 5 mil
motivaram o retorno das atividades. Houve uma pequena confusão de
professores das regionais de Sousa e Campina Grande por não concordarem
com o fim da greve, mas a maioria vence. Os docentes quebraram alguns
equipamentos, mas como dez regionais decidiram pelo retorno ao trabalho,
a greve foi encerrada”, falou o José Carlos Belarmino, presidente do
Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da
Paraíba (Sintep-PB). Belarmino avisou que a reposição das aulas
só ocorrerá se o governo fizer o reembolso dos dias descontados.
“Queremos ser ressarcidos pelo prejuízo. Caso isso não ocorra, os alunos
serão prejudicados porque não vamos fazer a reposição das aulas”,
avisou o presidente. Os professores do Estado estavam em greve
desde 31 de março e reivindicavam reajuste do Ministério da Educação de
13,01%, por força de lei federal; reajuste de 9% e regime de trabalho
T-30 para funcionários; revisão do Plano de Cargos, Carreira e
Remuneração (PCCR) do Magistério e aprovação do PCCR dos funcionários;
elevação da gratificação de direto e eleições diretas em todas as
escolas; pagamento integral do piso do Magistério.A Secretaria de
Estado da Educação informou à tarde que haverá regularização dos
vencimentos descontados dos professores em razão da greve nos casos em
que ficar comprovada a realização da aula. Nos demais casos, a
Secretaria está orientando que as escolas que suspenderam oficialmente a
greve apresentem plano de reposição de aulas para, após análise, terem
regularizado os valores descontados.

Data: 
sexta-feira, Maio 1, 2015 - 01:15
Compartilhe!

Comentários