Após dois meses, corpo de paraibana morta em voo ainda não saiu de Paris

Compartilhe!

Após dois meses, corpo de paraibana morta em voo ainda não saiu de Paris

O corpo da cabeleireira paraibana Flávia Luiza da Silva, de 38 anos, continua no Instituto Médico Legal de Paris, quase dois meses após a morte dela. Ela morreu no dia 2 de dezembro durante um voo da empresa Air France entre as cidades de Recife e Paris, capital da França.

A irmã de Flávia Luiza, Geane Martins, informou que a família não tem condições de custear o traslado do corpo entre os países, que custa pelo menos € 4 mil, o que equivale a R$ 15.720 na cotação dessa quinta (25) (R$ 3,93).

Porém, além dos valores de traslado, também é necessária a ida de algum familiar à França para o reconhecimento e liberação do corpo, o que elevaria os gastos em mais valores entre R$ 8,7 mil e R$ 13,3 mil, totalizando quase R$ 30 mil.

“Estamos com recurso em andamento para tentar fazer com que a União nos ajude a trazer o corpo da minha irmã. A gente também mantém contato com a Embaixada na França, mas são valores muito altos e nós não temos condições financeiras de arcar. Ela era uma pessoa muito boa e merece ser sepultada e homenageada aqui pela nossa família”, disse a irmã de Flávia Martins.

Interessados em ajudar a família a trazer o corpo da paraibana ao Brasil podem entrar em contato com Geane Martins, pelo telefone (83) 9 8639-0166.

Itamaraty diz que não tem recursos

Em contato com o Portal Correio, a assessoria de comunicação do Itamaraty informou que o ministério não possui dotação orçamentária para auxílio de traslado de corpos de brasileiros mortos no exterior, mas que busca ajudar a família mediando doações na França.

“Nós não temos dotação orçamentária para trazer o corpo ao Brasil, mas nosso Consulado em Paris está tentando contato com fundações e ONGs da França que possam ajudar na arrecadação de valores para o traslado do corpo. O que conseguimos de fato foi a extensão, sem prazo limite, da permanência do corpo de Flávia no IML de Paris, até que a família tenha condições de retirar o corpo da França”, informou o Itamaraty.

Fonte: Portal Correio

Data: 
sexta-feira, Janeiro 26, 2018 - 15:30
Compartilhe!

Comentários