"Cláusula de barreira para incompetentes": RC rebate críticas sem poupar a oposição e descarta deixar PSB

Compartilhe!

"Cláusula de barreira para incompetentes": RC rebate críticas sem poupar a oposição e descarta deixar PSB

Socialista comentou sobre o fim do racionamento em Campina e região – alvo de críticas da bancada contrária

 

Por: Blog do Gordinho

“Deveria ter cláusula de barreira para políticos incompetentes ou ineficientes”. “Oposição não sabe de nada, não sabem onde ‘a coruja pia'”. “Sonham com uma Oderbrecht da vida comprando a água”. Essas são declarações do governador Ricardo Coutinho (PSB) comentando sobre a oposição de sua gestão. Os comentários aconteceram enquanto o socialista tratava sobre o fim do racionamento em Campina Grande e região – alvo de críticas da bancada contrária – durante inauguração da reforma da Escola Estadual José Vieira, na manhã desta quarta-feira (9), no bairro de Tambauzinho, em João Pessoa.

“É uma decisão técnica. E quem não entende disso fica dando palpites absurdos, politizados, partidarizados. Sinceramente, deveria ter cláusula de barreira para políticos incompetentes ou ineficientes, a gente se livraria de muita gente que só quer o péssimo para a população, que aposta no ‘quanto pior, melhor’. Campina Grande está saindo do racionamento porque vai chegar aos 8% do volume, é por conta disso”, afirmou Ricardo Coutinho. Explicando que “a água que sai para abastecer Campina Grande e as cidades do entorno é inferior a água que entra, portanto, tecnicamente, ela está adequada para sair do racionamento”.

A oposição havia tecido críticas ao Governo por liberar as águas sem ter o percentual mínimo de volume, que seria de 8,2 metros cúbicos, e Ricardo rebateu, de forma mais incisiva, os comentários da bancada contrária. “Campina Grande está saindo porque o Governo do Estado trabalhou corretamente e com responsabilidade, coisa que a oposição não entende de nada, não sabe onde ‘a coruja pia’, não sabe absolutamente de nada, a não ser politizar tudo e querer o pior. Porque o que eles queriam é que a cidade de Campina Grande ficasse em racionamento até sempre, porque não pensam no povo, pensam em eleições”, disparou o gestor socialista.

Ricardo voltou a afirmar que a oposição teria interesse em privatizar a Cagepa, e fez alusão a esquemas de desvios de verbas que poderiam ocorrer nesse processo. “Eles estão revoltados porque perdem mais um argumento. Eles querem vender a Cagepa, querem vender a água. Eles querem participar daquelas coisas tão delicadas que já rodou pelo Brasil, sonham com uma Oderbrecht da vida comprando a água. E quando tem a normalização, eles ficam sem discurso para poder efetivamente enfrentar o problema”, finalizou.

Ricardo descarta saída do PSB

Na terça-feira (8), o deputado Frei Anastácio disse que não teria nenhuma dificuldade de validar o reingresso de Ricardo Coutinho (PSB) ao Partido dos Trabalhadores, legenda onde iniciou na política e permaneceu até 2003. Na ocasião, o governador comentou sobre as declarações do deputado petista.

“Anastácio é um companheiro antigo, independente de partido, um homem que respeito e admiro por sua história e pela sua vida. Mas estou bem onde estou. E muitas vezes você soma nos espaços onde você ocupa”, assegurou

Data: 
quarta-feira, Agosto 9, 2017 - 20:15
Compartilhe!

Comentários