Datafolha: Após Moro, Palocci e recibos, cresce vantagem de Lula. Só idiotas se surpreendem – Por Reinaldo Azevedo

Compartilhe!

Datafolha: Após Moro, Palocci e recibos, cresce vantagem de Lula. Só idiotas se surpreendem – Por Reinaldo Azevedo

 

Publicado por: Gutemberg Cardoso em 01/10/2017 às 11:39

 

Folha traz pesquisa na edição deste domingo. Os tontos e as tontas ainda não perceberam que Lula já não tem mais nada a perder. Se perder a liberdade, há o risco, ainda assim, de ganhar…

Lula em dois tempos: é preciso ser muito burro para não perceber que o da esquerda também pode ser muito perigoso. Concorrendo ou não. Dentro ou fora da cadeia
Só para lembrar, antes de tudo: no dia 17 de fevereiro escrevi a seguinte frase na coluna da Folha: “Se todos são iguais, Lula é melhor”. Eu advertir para o fato que de que a Lava Jato e a direita xucra estavam ressuscitando Lula como opção eleitoral.  Agora vamos seguir.

Existe o Xiririca da Serra Pesquisas. Já ouviu falar? Não? Você tem dinheiro? Encomende uma pesquisa a seu gosto, e o Xiririca da Serra Pesquisas oferece. O Xiririca da Serra Pesquisas pode até fazê-lo o homem ou mulher mais desejados do país, ainda que você esteja mais para Béla Lugosi no papel de vampiro ou para Dona Bela, da Escolinha do Professor Raimundo. O Xiririca da Serra Pesquisas vende tudo o que o seu dinheiro pode comprar, e isso inclui — by Nelson, aquele… — “o amor verdadeiro”.

E existe o Datafolha. E olhem que não é raro eu afrontar os critérios do instituto. Já aconteceu não uma nem duas vezes. Sei lá quantas. Mas o Datafolha não oferece o número que você quer ver ou o seu dinheiro de volta. O Datafolha nem vende nem se vende. Posto isso, vamos à obra que a insanidade jurídica, o direito achado na rua e a direita xucra estão oferecendo ao país. Quem está gostando do jogo é o general Hamilton Mourão, inclusive do jogo jogado por certa cobertura política incendiária, que agora declara, abertamente, que a lei não tem importância no caso Aécio. Se não importa no caso dele, importa em qual?

 

Leia Também:   STF aprova ensino religioso confessional em escolas públicas

A Folha deste domingo traz uma pesquisa eleitoral para a Presidência. Apenas alguns dados foram divulgados. O levantamento foi feito na quarta e na quinta, depois da condenação de Lula, depois da nova novela sobre os recibos, depois da carta-vômito de Antonio Palocci, depois do general Mourão, depois de os porcos e as leitoas saírem por aí a pregar um golpe transitório.

Sabem o que aconteceu em relação ao levantamento anterior? Aumentou a vantagem de Lula em relação a seus adversários. O menor índice que ele obtém é 35%. No segundo turno, ele vence todos os adversários. Na pesquisa de junho, Marina (Rede) ainda empatava com ele. Agora, não mais. Ah, sim: Sergio Moro talvez vencesse. Nesse caso, há empate técnico, como havia em junho, com meros dois pontos de diferença, com o demiurgo de toga numericamente à frente. Mas Moro não será candidato. Ele só continuará como o principal cabo eleitoral de Lula.

Em segundo lugar, mas empatado tecnicamente com Marina, está Jair Bolsonaro, para o delírio da direita do onanismo ideológico. O que é onanismo ideológico? É aquela gente que se contenta só com o próprio crescimento, entendem? No fim da história, acabam ficando na mão. O folclore que se leva a sério — e que deve ser levado a sério, advirto —marca 16% ou 17% a depender do cenário. Marina, fica com 13% ou 14%. Os tucanos Geraldo Alckmin e João Dória têm 8%.

O que vocês querem que eu diga? Que tal o que eu disse no dia 30 de abril, no texto que comentava a pesquisa Datafolha daquele mês. O link está aqui. O título era este: “DATAFOLHA 1: Lula cresce, Bolsonaro disputa 2º. Parabéns, xucros!”

Bem, o cenário de terror está desenhado com todos os números pela mais recente pesquisa Datafolha sobre a eleição presidencial de 2018. O instituto ouviu 2.781 pessoas, nos dias 26 e 27 deste mês em 172 municípios. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. O levantamento, pois, foi feito depois da divulgação da Lista da Odebrecht e das “confissões” de Léo Pinheiro a Sergio Moro. E, no entanto, Lula lidera as intenções de voto no primeiro turno em todas as simulações em que aparece seu nome. Também venceria a maioria dos adversários no segundo turno. Ele só empataria tecnicamente com Marina Silva e Sergio Moro… Ai, ai…

 

Leia Também:   Vereadora associa homossexualidade a modismo e diz que ativismo gay quer proibir tratamento psicológico

Há dias, quando foram divulgados dados do Ibope sobre potencial de votos dos candidatos — e também lá havia a informação de que 30% votariam em Lula com certeza —, alguns bocós da direita, incapazes de fazer um “o” com o copo, berraram: “Esperem os efeitos da Lista da Odebrecht e do depoimento de Pinheiro…”. E eu escrevi aqui e disse na rádio e na TV: do ponto de vista penal, a situação de Lula se agrava; eleitoralmente, estar ou não em listas, ter seu nome citado ou não por delatores, tudo isso já não atinge mais negativamente a sua imagem.

Pois é, né? Quanto apanhei quando afirmei que a direita xucra estava ressuscitando Lula e o PT!!! Quanta pancadaria vinda de vigaristas, pistoleiros e bucaneiros porque acusei a Lava Jato, o Ministério Público Federal e Rodrigo Janot, em particular, de igualar desiguais, de meter no mesmo saco de gatos pardos o caixa dois com e sem contrapartida.

Na minha coluna da Folha de 17 de fevereiro, comentando justamente dados de uma pesquisa, sintetizei: “Se todos são iguais, então Lula é melhor”.

E, antes que entre nos números, uma observação fundamental. Eu não antevejo a eleição de Lula. Há uma boa possibilidade de que esteja condenado em segunda instância até lá — caso o MPF consiga provar que apartamento e sítio são mesmo dele. Se vai ou não ser candidato, se será eleito “com certeza” ou “derrotado com certeza”, isso é conversa de tolos, de demagogos, de gente chinfrim.

A minha questão é outra e já estava naquela coluna da Folha: “AINDA É CEDO, CLARO! MAS UMA SOCIEDADE DIZ ALGUMA COISA DE SI MESMA, DO PROCESSO POLÍTICO E DO FUTURO QUANDO UMA MÉDIA DE 30% DOS ELEITORES, MESMO DEPOIS DE TUDO, ESTÁ COM LULA. E PODERIA SER DIFERENTE? A INDIGNAÇÃO COM A CORRUPÇÃO E OS DESMANDOS DO PT DEGENEROU DEPRESSA EM MORALISMO TACANHO, EM ÓDIO À POLÍTICA, EM CONTÍNUA DEPREDAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MESMO OS MAIS CORRIQUEIROS DA ATIVIDADE.”

 

Leia Também:   Conselho Federal de Psicologia vai recorrer de decisão que libera “cura gay” -VEJA VÍDEO

Vídeos de gritantes nulidades morais e intelectuais pipocaram contra mim nas redes. Sim, houve candidatos a gurus e a Goebbels da periferia que chegaram a antever o meu fim… E, no entanto, fazer o quê? Acertei todas. Eles erraram todas. E continuam a falar e a fazer bobagem! Seria vergonhoso se houvesse vergonha naquelas paragens. Mas essa não é uma herança que todo pai deixe, não é?, como naquela música. E seus rebentos não haveriam de inaugurar a tradição da decência. Avante!

Volto aos dias atuais
É claro que Lula pode ser condenado em segunda instância e, a permanecer inalterada jurisprudência do Supremo, pode até ser preso. Não seria candidato por vontade de juízes, não da população. Isso teria seu preço no futuro. Se eu tivesse de escolher, ele concorreria. Para ser derrotado.

Ah, sim: as páginas de direita se divertem exibindo um Lula velhinho, alquebrado, cabelo ralo, sofrido, ar até humilhado às vezes. Não perceberam que isso também pode ser um ativo eleitoral. E por que não? Falta de leitura e do que Paulo Francis chamaria “experiência social”.

Fonte: http://www3.redetv.uol.com.br/

Data: 
domingo, Outubro 1, 2017 - 23:00
Compartilhe!

Comentários