Denúncia contra Temer: Luiz Couto sinaliza voto a favor da queixa e Benjamim desqualifica parecer de Janot

Compartilhe!

Denúncia contra Temer: Luiz Couto sinaliza voto a favor da queixa e Benjamim desqualifica parecer de Janot

Únicos paraibanos na CCJ, deputados comentaram sobre os trâmites do processo e sinalizaram seus votos acerca da denúncia

Por: Cógenes Lira

Os membros paraibanos da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, Luiz Couto (PT) e Benjamim Maranhão (Solidariedade), comentaram sobre os trâmites do processo – após pedido de vistas coletivo – e sinalizaram seus votos acerca da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Leia também: Relator na CCJ recomenda rejeição da denúncia contra Temer

Conforme Luiz Couto, na próxima terça-feira (17) pela manhã deve haver sessão para debater a matéria na Casa. “Estamos analisando, preparando voto em separado, e na terça iremos fazer esse debate, e demonstrar que efetivamente tanto Temer deve ser investigado, e ele possa ser afastado, como também de Eliseu Padilha e Moreira Franco”, afirmou, sinalizando voto a favor do prosseguimento da denúncia contra o atual presidente.

Para o deputado petista, o relatório de Bonifácio de Andrada (PSDB) – que assumiu relatoria do processo após manobra de Temer – não representa a denúncia da PGR. “Na terça-feira pela manhã vamos fazer o grande debate mostrando e revelando para sociedade que aquele relatório do parecer de Bonifácio não é o que representa a denúncia feita pelo Procurador-Geral da República Rodrigo Janot”, destacou.

O relatório de Bonifácio também foi comentado por Benjamin Maranhão, afirmando que não vai basear seu voto apenas pelo relatório do deputado tucano. “O meu voto não vai se basear só no relatório do deputado Bonifácio. Tivemos o cuidado de pegar a denúncia e pedi a nossa assessoria legislativa que fizesse uma análise disso. Algumas coisas já extraímos, com relação a própria denúncia, e é isso que vai fundamentar nosso voto”, declarou. Porém, segundo ele, há também outra questão: a partidária. “Temos que nos posicionar como representante do partido”, salientou.

Sinalizando um possível voto a favor de Temer, assim como seu histórico recente em votações desta natureza, Benjamin Maranhão desqualificou levemente a denúncia feita pelo ex-Procurador Rodrigo Janot e usou a Constituição Federal como argumento. “Temos que ver sob a luz da constituição o que é aquela denúncia. O Procurador deveria ter se atido aos possíveis crimes cometidos durante o exercício do mandato. Artigo 86, parágrafo 4 diz que ‘o Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções'”, disse.

Data: 
sexta-feira, Outubro 13, 2017 - 08:15
Compartilhe!

Comentários