Desenvolvimento do Município reflete no crescimento dos ramos do comércio e da prestação de serviços

Compartilhe!

Desenvolvimento do Município reflete no crescimento dos ramos do comércio e da prestação de serviços

 

 
Quixaba já chegou a ser considerada a cidade mais pobre do país. Contudo, esse cenário passou a mudar (nesse caso, para melhor) de 2009 até os dias atuais. A administração atual tem na educação e na saúde seus pilares administrativos, porém, a preocupação com o crescimento econômico também faz parte das prioridades deste governo que, através da política de isenção fiscal, por exemplo, motiva empresários a investirem na cidade de Quixaba.

 

Hoje, a cidade possui um Produto Interno Bruto (PIB) a preço corrente (em R$ mil) de 11.130, e em termos per capita (em R$) de 6.327,56, fazendo com que o município não figure, sequer – considerando as duas categorias, entre os 10 menores do país. Esse progresso financeiro reflete diretamente na vida do quixabense, ajudando na movimentação da economia da cidade, provendo renda para os proprietários de estabelecimentos e seus empregados.

 

Entre comércio e prestação de serviços, o município, atualmente, dispõe das mais variadas opções: mercadinhos, lanchonetes, oficinas, posto de gasolina, padaria, frigo-fruta, salões de beleza, lojas de roupa, lanhouse, estúdio de fotografia, loja de perfumes, loja de assistência eletrônica, granjas de abatimento, bares, fornecedores de marmitas e de bolos e salgados, produtores de pimenta, manicures, etc.

 

“Antes era impensável, aqui em Quixaba, usufruirmos de serviços e de opções comerciais das quais dispomos hoje”, afirma Carleusa Monteiro, umas das coordenadoras da Educação na cidade.

 

O progresso financeiro do Município também reflete no padrão de vida dos munícipes da cidade. Quixaba, com base em dados divulgados em 2010 (ano da última pesquisa), possui um dos mais altos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) no Estado da Paraíba, ocupando a 32ª colocação entre os 223 municípios paraibanos, com um índice de 0,622 (o índice para considerar um padrão de vida como ALTO é de 0,700).

 

Antes dependente, basicamente, do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) – meio pelo qual a União, representada pelo Presidente da República, repassa verbas para o municípios brasileiros – Quixaba dá, cada vez mais, passos firmes rumo a autossuficiência financeira e, sem sombra de dúvidas, uma administração responsável e que governa para sua população, provendo suas necessidades nos mais diversos âmbitos, contribui para isso.

 

 

Eduardo Silva

 

 

Data: 
terça-feira, Novembro 24, 2015 - 20:45
Compartilhe!

Comentários