Impasses: ACS de Desterro paralisaram os trabalhos por falta de pagamentos

Compartilhe!

Os Agentes Comunitários de Saúde de Desterro no interior da Paraíba foram os primeiros profissionais a paralisarem as atividades, na cidade, a decisão foi tomada em conjunto com o Sindicato da Categoria. Os servidores, estão sem receber o salário de Dezembro de 2017 e já está chegando ao fim de Janeiro de 2018 acumulando o 2º mês consecutivo sem o salário.

Na semana passada o Vereador da base aliada do governo municipal, Tiago Simões em entrevista ao Desterro1 afirmou que até a quinta-feira 18/01 a situação dos salários se normalizaria, mas até o momento nada foi resolvido.

O impasse dos salários dos servidores e também dos pagamentos dos credores da Prefeitura se dá pelo fato do bloqueio das contas ocorrido no fim de 2017, devido o vencimento da licença do Prefeito Dilson de Almeida (Didi), com isso, Valtécio de Almeida - Vice Prefeito, perdeu a titularidade de acesso às contas.

(Didi) requereu a Câmara de Vereadores o beneficio de mais 6 meses, totalizando 1 ano e 6 meses de licença do cargo de prefeito, mas a Câmara está no recesso legislativo e voltará as atividades somente no próximo mês de fevereiro deste ano.

Vereadores de Situação por ser maioria em vista do não atendimento do Presidente da Câmara realizaram Sessão Extraordinária, nesta sessão que ocorreu no domingo 14 de Janeiro foi cedida a Licença de mais 6 meses a Didi, ato contestado pelo Presidente da Câmara Vamberto Leite.

Pelo andar da carruagem, a validade da sessão parece não ter tido efetividade ou ainda parece está sob judicie, pois até o momento não tivemos as tão boas notícias que os servidores de Desterro querem ouvir, "DINHEIRO NA CONTA". Na outra ponta, estão pais e mães de famílias que tem suas contas de água, luz, telefone, cartão, feira, remédios, dentre outras despesas para pagar.

Estes que ai está, os chamados servidores, trabalhadores, merecem o respeito não só da Prefeitura, mas de todo povo de Desterro e tem o direito de ter seus salários para honrarem seus compromissos. Outros servidores de outras categorias como a Saúde e Educação, social, também ameaçam entrar em greve a qualquer momento, caso os salários não sejam normalizados. Aqui só quem não deve perder é o Povo.

Fonte: Redação Desterro1

Data: 
segunda-feira, Janeiro 22, 2018 - 13:15
Compartilhe!

Comentários