Lucro de quadrilha que fraudava concursos pode chegar a R$ 100 milhões

Compartilhe!

Lucro de quadrilha que fraudava concursos pode chegar a R$ 100 milhões

O lucro da quadrilha que fraudava concursos na Paraíba e em outros estados pode chegar à casa dos R$ 100 milhões, de acordo com o delegado Lucas Sá, responsável pelas investigações. Conforme o delegado, será realizada uma análise das contas bancárias dos envolvidos no esquema após a quebra do sigilo requerida pela polícia.

"O valor divulgado inicialmente, de R$ 21 milhões, é a quantia mínima que o grupo pode ter lucrado. Mas acreditamos que o valor real seja muito superior a esse", informou.

Conforme Lucas Sá, a Operação Gabarito pode chegar a ter vinte fases. "Até o momento, tivemos três fases com um enfoque geral de desmontar a quadrilha", explicou. "Esperamos, a partir da quarta fase - que deve ser deflagrada na próxima semana - focar em concursos específicos. Vamos priorizar os concursos que conseguimos reunir mais provas de que houve fraude", disse.

Na terceira fase da Operação, realizada na última terça-feira (30), pai e filha foram presos suspeitos de envolvimento no esquema. "Esperávamos realizar outras prisões, mas os pedidos foram negados pela Justiça", disse o delegado. "Mas fizemos um novo pedido, dessa vez com mais provas reunidas, e esperamos prender outras pessoas na próxima semana", acrescentou.

Até o momento, a Polícia Civil já identificou mais de 100 pessoas envolvidas diretamente nas fraudes em concursos públicos em diversos estados do Brasil e encontrou provas que indicam que mais de 1000 candidatos foram beneficiados pelo esquema. 

Operação Gabarito

Mais de 70 pessoas são apontadas como suspeitas de participação no esquema de fraudes em concursos públicos desarticulado pela Operação Gabarito. De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha teria fraudado mais de 70 certames. Os três principais líderes do grupo já estão presos. 

A ação foi desencadeada no dia 7 de maio, quando 19 pessoas foram presas, em João Pessoa e no Rio Grande do Norte. Na sexta-feira (12), outros seis suspeitos de participação no esquem foram detidos pela Polícia Civil, totalizando 25 presos. Candidatos que obtiveram as mesmas notas de suspeitos de fraude também vão ser investigados pela operação.

Segundo o delegado Lucas Sá, a investigação começou há quatro meses, a partir de denúncias anônimas. “A denúncia era de que tinham pessoas que passaram por meio de fraudes", completou.

Entre os concursos que têm suspeita de fraude estão o da Polícia Rodoviária Federal, do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, do Ministério Público da Paraíba, de uma série de prefeituras e até o Exame Nacional do Ensino Médio. Os gabaritos eram preenchidos inteiramente de forma fraudulenta, segundo a polícia.

Fonte: Jornald a Paraíba

Data: 
quinta-feira, Junho 1, 2017 - 14:30
Compartilhe!

Comentários