Procurador-chefe do MPT da Paraíba destaca que Reforma Trabalhista visa inviabilizar acesso à Justiça

Compartilhe!

Procurador-chefe do MPT da Paraíba destaca que Reforma Trabalhista visa inviabilizar acesso à Justiça

Procurador-chefe do MPT da Paraíba destaca que Reforma Trabalhista visa inviabilizar acesso à Justiça

 Em entrevista a mídia paraibana o novo procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho na Paraíba, Carlos Eduardo de Azevedo Lima, que tomou posse no último dia, (10), na Fundação Casa de José Américo, no Cabo Branco, em João Pessoa, a reforma trabalhista não visa resolver os problemas e combater as irregularidades, mas inviabilizar o acesso à Justiça do Trabalho.

“Precisamos de criatividade, trabalho em parceria e concatenado entre os diversos órgãos e instituições para que busquemos otimizar cada vez mais os resultados a serem obtidos por meio da atuação voltada para a defesa dos interesses da sociedade, a quem se destina toda essa atuação. Precisaremos atuar mais e com cada vez menos recursos, o que sintetiza esse contexto, que é extremamente desafiador”, afirmou o procurador sobre as metas que pretende atingir no cargo.

Carlos Eduardo tomou posse um dia antes da entrada em vigor da lei da reforma trabalhista (13.467/2017). “O grande problema da reforma trabalhista é que, para além da questão referente à retirada e supressão de direitos que ela trouxe diretamente, assim como daqueles cuja supressão ela propicia de forma indireta, a nova legislação acaba por inviabilizar o acesso ao Poder Judiciário por parte dos trabalhadores”, ressaltou.

“O que se observa, em vários pontos, é que o intuito da lei da reforma trabalhista não é resolver os problemas, combater as irregularidades e regularizar as situações ilícitas, mas sim inviabilizar que a discussão das ilicitudes no Judiciário”, acrescentou.

Redação 

Data: 
segunda-feira, Novembro 20, 2017 - 10:45
Compartilhe!

Comentários