Procurador diz que vídeo fortalece denúncia contra Berg, mas não pode fazer novo pedido de cassação

Compartilhe!

Procurador diz que vídeo fortalece denúncia contra Berg, mas não pode fazer novo pedido de cassação
  
Procurador diz que vídeo fortalece denúncia contra Berg, mas não pode fazer novo pedido de cassação
O procurador-geral de Justiça da Paraíba, Seráphico da Nóbrega, considerou graves as novas imagens das denúncias de extorsão que pesam contra o prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima. Ele lembra, inclusive, que o vídeo entregue nesta terça-feira (9) ao Ministério Púbico traz fatos descritos na denúncia protocolada na Justiça. O representante do MP alega ainda que as imagens fortalecem os elementos já apresentados pelo órgão contra o gestor. O material também poderá complicar a vida das testemunhas que falaram a favor do prefeito em depoimentos prestados na Câmara. Eles poderão ser processados por falso testemunho.

O presidente da Comissão Processante, Jefferso Kita (PSB), revelou que a Câmara de Bayeux pode processar o empresário João Paulino, que é o autor do vídeo em que Berg é flagrado novamente cobrando uma suposta propina. Para Kita, o fato de o empresário ter um segundo vídeo e ter 'escondido' isso do processo pode gerar um processo por falso testemunho e corrupção ativa.  Cabe ao presidente da Casa apresentar aos vereadores o pedido para que o empresário seja processado. 

 

O vídeo foi entregue ao Ministério Público da Paraíba pelo empresário João Paulino de Assis, do Sal & Pedra Receptivo. As imagens mostram o momento em que ele é cobrado por Berg Lima para o pagamento de propina não quitada. As imagens foram feitas cinco dias antes do flagrante que resultou na prisão do gestor, no dia 5 de julho. A data foi a combinada na semana anterior entre Berg e Paulino para o pagamento da última parcela que o empresário diz ter prometido para receber pelas dívidas em aberto da prefeitura.

Nova denúncia

O vereador Adriano Martins anunciou que vai apresentar novo processo político contra Berg Lima. Ele disse que o resultado, desta vez, poderá ser diferente. Alega que os colegas que votaram a favor do prefeito teriam sido induzidos ao erro por testemunhas. Ao todo, o empresário tinha a receber R$ 77 mil da Prefeitura de Bayeux. O dinheiro era fruto do fornecimento de produtos ainda durante a gestão anterior, de Expedito Pereira. Segundo a denúncia, o prefeito aceitou fazer o pagamento parcelado, desde que houvesse a contrapartida de R$ 11,5 mil a serem pagos pelo empresário.

Posição da Câmara

O procurador da Câmara de Bayeux, Aécio Farias, comentou nesta quarta-feira (10), que o novo vídeo onde Berg Lima aparece supostamente pedindo propina ao empresário João Paulino, não muda o que foi feito na Câmara e tampouco, o prefeito pode ser alvo de um novo pedido de cassação. Farias explicou que não é mais possível trazer um novo processo pelo mesmo fato, pois já foi apurado e na sessão que terminou na madrugada do dia 30 de dezembro, foi julgado o mérito do processo. 

De acordo com Farias, as três testemunhas que serão ouvidas nesta quarta-feira na Casa são de defesa, já que a acusação não colocou nenhuma, porém a comissão processantes vai querer suprir e convocar outras testemunhas, com isso, mesmo que o prefeito afastado decidisse comparecer à sessão, seu depoimento seria adiado.

Vão ser ouvidos nesta quarta-feira, o ex-secretário de administração do município, o ex-chefe do setor de compras e o ex-procurador Geral do Município. 

Foto: Ernane Gomes/MPPB

Redação com Blog do Suetoni  e Paraiba.com

Data: 
quinta-feira, Janeiro 11, 2018 - 01:00
Compartilhe!

Comentários