Vendedores fazem foto em frente ao Bonanza para chamar atenção para a crise no setor supermercadista em Patos

Compartilhe!

Vendedores fazem foto em frente ao Bonanza para chamar atenção para a crise no setor supermercadista em Patos

 

Vendedores de gêneros alimentícios da área supermercadista em Patos se reuniram na manhã desta quinta-feira, dia 10, e fizeram uma fotografia em frente ao Supermercado Bonanza, que foi fechado no mês de junho. A intenção da fotografia foi chamar atenção para o problema. Eles estão preocupados com a situação. “As vendas caíram demais. Nunca vivenciei uma crise tão grande como essa”, disse Luciana Pereira, vendedora há 11 anos da Vitamassa.

As palavras da vendedora Luciana foram endossadas por vários Getúlio Morais, supervisor há sete anos da empresa Isis; Michelle Becker, que atua há cinco anos na Distribuidora Rio Grandense; Sena, funcionário há quatro anos da Distribuidora Rio Piranhas; e por Geovani, proprietário da Kabra Forte da Distribuidoras de Alimentos, em Patos.  Todos eles estão sentindo o momento ruim do comércio de Patos, principalmente na área onde atuam, que é a de gêneros alimentícios.

O Bonanza fechou em junho e o Comprão fechou em julho. Ambos pertenciam ao mesmo grupo e o fechamento dos dois supermercados deixou quase cem pessoas desempregadas em Patos.

Segundo José de Sales Martins, presidente da Associação Comercial de Patos, essa é a maior crise que a economia nacional já vivenciou. “Não é só Patos, é o país todo. Temos visto muitos comércios fechando e isso tem causado preocupação, mas estamos esperançosos que logo a economia se acerte”, disse.  

Segundo Everaldo Lima, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Patos e Região (Sintracs), em junho o comércio reagiu positivamente em Patos. Ele disse que a cidade foi a única da Paraíba que apresentou crescimento de empregos formais no comércio no mês de junho.

Esse crescimento nos empregos formais em junho, citados por Everaldo Lima, certamente foram gerados com a inauguração do Atacadão Carrefour, que empregou mais de 250 pessoas.

Everaldo disse que a crise existe, mas que não é geral. É mais forte em alguns setores da economia, mas que é visível que aos poucos o comércio dá sinais de recuperação.

Vendedores e empresários acreditam que a diminuição das vendas nos supermercados se deve à recente implantação do Atacadão Carrefour em Patos, que começou com muitas promoções e atraindo muitos clientes. 

O governo federal tem divulgado que alguns setores da economia começam a se acertar e que aos poucos o país começa a superar a crise.

Na cidade de Patos são muitos os empreendimentos que estão sendo construídos, a exemplo do Shopping Cidade, de uma clínica às margens da Alça Sudeste, do supermercado Hiper Queiroz, e a perspectiva é que nos próximos meses muitos empregos sejam gerados na cidade de Patos.

Essa é a perspectiva futura, mas no momento a reclamação de crise no comércio é quase geral.

 

Wandecy Medeiros - Folha Patoense

 

Data: 
sexta-feira, Agosto 11, 2017 - 06:45
Compartilhe!

Comentários