Domingo, 16 de Junho de 2024
26°

Parcialmente nublado

Patos, PB

Política POLÍTICA

CRA do Senado aprova PL do deputado Luiz Couto que incentiva Hortas Comunitárias e Agricultura Orgânica em áreas da União

Para Couto, o Projeto demonstra a importância de políticas que promovam a agricultura sustentável e a participação das comunidades de baixa renda na produção de alimentos saudáveis.

12/09/2023 às 19h51
Por: Gilson Monteiro Fonte: Patostv com Assessoria
Compartilhe:
Foto: MS Notícias
Foto: MS Notícias

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado Federal aprovou, na última quarta-feira (9/9), o Projeto de Lei Nº 2.100/2019, de autoria do deputado federal Luiz Couto (PT/PB), que versa sobre a permissão de uso de terrenos pertencentes à União para a criação de hortas comunitárias. A relatoria é da senadora Eliziane Gama (PSD-MA), que se manifestou favorável à aprovação.

De acordo com o parlamentar, o Projeto tem como objetivo principal incentivar a prática da agricultura orgânica em hortas comunitárias, bem como a produção de mudas destinadas ao paisagismo de áreas urbanas. Para alcançar o propósito, o PL propõe uma modificação na Lei 9.636, de 1998 (que dispõe sobre a regularização, administração, aforamento e alienação de bens imóveis de domínio da União), incluindo essas atividades entre as hipóteses de permissão de uso de áreas de domínio da União.

Para Couto, o Projeto demonstra a importância de políticas que promovam a agricultura sustentável e a participação das comunidades de baixa renda na produção de alimentos saudáveis.

“Com isso, esperamos que o Brasil dê mais um passo na promoção da agricultura orgânica e no estímulo à produção de alimentos saudáveis em hortas comunitárias, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Além de representar um avanço significativo no cenário agrícola do país, trazendo benefícios tanto para o meio ambiente como para as populações envolvidas”, disse o deputado.

Ele destaca ainda, que uma das características importantes do PL é o foco na utilização prioritária de técnicas agroecológicas, que promovem uma agricultura sustentável e não agressiva ao meio ambiente.

“O texto também especifica que tais práticas devem ser conduzidas por famílias de baixa renda, que estejam organizadas em associações, cooperativas ou sindicatos. Mas, a permissão para essas atividades está condicionada à compatibilidade com o Plano Diretor ou outras normas urbanísticas do município em questão”, completou Luiz Couto.

Com a aprovação na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, o texto segue agora para ser apreciado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado antes de ser encaminhado para a sanção presidencial.

 

Ascom Dep. Luiz Couto

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias